20 fatos sobre “La Casa de Papel” que você nem imaginava

Anna Bia

A série espanhola “La Casa de Papel” se tornou um sucesso enorme no Brasil. O que você provavelmente não sabe, é que alguns segredos ficaram “escondidos” do público. Conheça algumas curiosidades na lista abaixo!

Curiosidades de “La Casa de Papel”

– Por que escolher a música “Bella Ciao”?

 “Bella Ciao” foi cantada a plenos pulmões pelo grupo de ladrões. Mas sabia que a canção possui um passado de luta? Ela foi composta no século 19 por camponesas do norte da Itália, que a cantavam durante o trabalho de colheita contra a opressão dos patrões.

A música voltou para a boca do povo durante a Primeira Guerra Mundial com uma nova letra, em tom de protesto ao conflito. Na Segunda Guerra, o partido comunista fez uma terceira versão contra o governo fascista de Mussolini.

– A inspiração para o visual de Tóquio

O visual de Tóquio foi inspirado na personagem de Natalie Portman em “O Profissional”. E quando olhamos para as duas fotos, a referência é clara!

No filme de 1994, Natalie interpreta Mathilda, uma garota que se torna protegida de um assassino profissional e que deseja vingar a morte da família.

– A Casa da Moeda não é a Casa da Moeda

A fachada que vemos como a Fábrica Nacional de Moneda y Timbre durante toda a série, na verdade não é a Casa da Moeda espanhola.

Se trata do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), que foi liberado para gravações aos finais de semana​. ​A Casa da Moeda não autorizou a gravação.

– A escolha dos elementos vermelhos

O vermelho, cor que sugere uma intensidade maior aos sentimentos colocados nas cenas, foi uma ideia de Migue Amoedo, diretor de fotografia da série.

Além do vermelho estar presente nas luzes e no próprio macacão dos assaltantes, também podemos observá-los em outros itens na trama, como no telefone frequentemente usados pelos personagens.

– A doença de Berlim não existe

Na trama, Berlim sofre de uma doença chamada miopatia de Helmer. Só que isso não existe de verdade.

Pelos sintomas, parece que o personagem tem miopatia mitocondrial, um distúrbio genético que causa perda progressiva da força muscular.

Os nomes de alguns personagens foram trocados da ideia original

Oslo, Moscou e Nairóbi se chamariam Valência, Camarões e Chernobyl na primeira versão da série.

No entanto, esses nomes não foram totalmente desconsiderados na trama: eles foram utilizados como códigos no desenvolvimento do grande assalto.

– O primeiro episódio tem mais de 50 versões

O primeiro episódio da série contou com nada menos que 52 versões.

Os produtores trabalharam duro para chegar na versão que estreou na TV espanhola.

– Uma das cenas demorou 5 horas para ser finalizada

Lembra de uma das primeiras cenas da série, em que Tóquio é recrutada pelo Professor? Parece uma cena super rápida, certo? Errado!

Na verdade, a cena demorou cerca de cinco horas para ser gravada e atingir a perfeição exigida pela produção da série.

– O nome da série era para ser outro

A série quase teve outro nome. Antes de escolherem “La Casa de Papel”, a produção trabalhou com o título de “Los Desahuciados”, que significa “Os Desalojados”, em tradução livre.

A ideia era pelo fato de que todos os criminosos deixam suas casas antes de embarcar no plano do Professor.

O dinheiro era impresso em papel de jornal

Dinheiro foi o que não faltou na série. Mas, obviamente, por questões de segurança, a produção não usou impressoras de dinheiro de verdade.

Eles usaram prensas de jornal para fabricar o dinheiro fictício. E boa parte dele é feito com papel de jornal.

 

– Berlim e o Professor realmente são irmãos de sangue

Sim, Berlim e o Professor realmente são irmãos de sangue. E o mais curioso é que essa sugestão veio dos próprios atores que interpretam os dois personagens.

Berlim é o irmão mais velho do Professor, mas os dois são filhos de mães diferentes.

– O final da 2ª temporada foi pensado para o público

Segundo o criador da série, Álex Pina, o final de “La Casa de Papel” foi pensado para os telespectadores, que iriam se alegrar com o sucesso do roubo.

E é verdade! Você imagina um final diferente?

– Algumas pessoas da produção atuaram na série

Algumas pessoas que faziam parte da equipe técnica da série se arriscaram à frente das câmeras.

O diretor Alejandro Bazzano fez uma breve participação como o Dr. Serbio. Já o assistente de direção Daniel Higueras fez figuração como um dos agentes que trabalham com Rachel na tenda da polícia.

– Os episódios foram gravados em ordem e ninguém sabia o que ia acontecer

Os episódios foram gravados em ordem e os atores só recebiam o roteiro para cada episódio quando já estavam nos sets de filmagem.

Ou seja, ninguém sabia o que iria acontecer com o próprio personagem que estava interpretando!

– A risada de Denver

A risada única de Denver foi pensada bem antes da produção escolher Jaime Lorente para o papel.

Durante os testes para o personagem o roteiro simplesmente dizia “risada desprezível”, e cada ator fazia a sua interpretação.

– Originalmente, a série tinha 15 episódios

Antes do sucesso de público, era para “La Casa de Papel” ser uma minissérie de apenas 15 episódios.

No entanto, o sucesso fez com que a série fosse dividida em duas temporadas – e até que fosse renovada para uma terceira!

– Todos os personagens deveriam ter morrido

Já imaginou se todos os personagens tivessem morrido?

Pois é, originalmente era para todos os personagens terem uma doença terminal (assim como Berlim), o que iria ser o motivo para que todos eles quisessem realizar o roubo histórico.

– A escolha da música que o Professor toca no piano

Você percebeu que a música que o Professor toca no piano é “The Entertainer”, de Scott Joplin?

Esse também é o tema de “Golpe de Mestre”, filme em que uma dupla consegue embolsar uma grana altíssima.

– Não é uma série original da Netflix

Muita gente acha que a série é uma produção original da Netflix… Só que não. A empresa, por sinal, fez algumas mudanças no formato da produção.

Na emissora original, Antena 3 Televisión, a primeira parte da série teve nove episódios de 70 minutos, enquanto que mundialmente foi exibida em 13 episódios de pouco mais de 40 minutos.

– A série fez mais sucesso fora do Espanha

Quando estreou nas TVs espanholas, “La Casa de Papel” não fez tanto sucesso assim.

Mas quando passou a ser transmitida em outros países, como o Brasil, os atores sentiram o impacto do sucesso!

Deixe um comentário

Por favor digite o seu comentário
Por favor digite seu nome