BRASIL  ERA de 1900 a 1910

Esta década foi caracterizada por um dos primeiros saltos tecnológicos no campo dos transportes, como o desenvolvimento da aviação e do automóvel. Foi também o início da chamada arte moderna com os movimentos culturais pós-romantismo.

Com a proclamação da República em 15 de novembro de 1889, Deodoro da Fonseca foi escolhido presidente pelo Congresso. Seu sucessor foi Floriano Peixoto. Prudente de Morais foi o primeiro presidente eleito pelo povo com 276.583 votos e governou até 15 de novembro de 1898.Na década tivemos cinco presidentes todos eleitos pelo voto direto e na plena normalidade democrática, apesar de alguns problemas políticos e de compra de votos. Nilo Peçanha que sucedeu Afonso Pena após a sua morte em exercício do cargo, era vice presidente eleito e completou o seu mandato:

  • Campos Sales            15/11/1898 a 15/11/1902
  • Rodrigues Alves         15/11/1902 a 15/11/1906
  • Afonso Pena              15/11/1906 a 14/06/1909
  • Nilo Peçanha              14/06/1909 a 15/11/1910
  • Hermes da Fonseca   15/11/1910 a 15/11/1914

Em 1900 a população brasileira era de 17.318.556 habitantes e os cinco estados mais populosos, que representavam 60% da população total, eram:

  • Minas Gerais                3.594.471 habitantes
  • São Paulo                     2.282.279 habitantes
  • Bahia                            2.117.956 habitantes
  • Pernambuco                 1.178.150 habitantes
  • Rio Grande do Sul        1.149.070 habitantes

As cinco cidades mais populosas eram:

  • Rio de Janeiro                691.565 habitantes
  • São Paulo                       239.820 habitantes
  • Salvador                         205.813 habitantes
  • Belém                             166.121 habitantes
  • Recife                             113.106 habitantes

Em 1910 a população brasileira era de 23.414.177 habitantes e estes eram os cinco estados mais populosos. Comparando com o quadro de 1900, Pernambuco e Rio Grande do Sul trocaram de lugar na lista:

      Minas Gerais                4.479.689 habitantes
      São Paulo                     3.455.030 habitantes
      Bahia                            2.631.989 habitantes
      Rio Grande do Sul        1.594.439 habitantes
      Pernambuco                 1.570.183 habitantes

Na década entraram no Brasil 640.577 imigrantes, sendo as principais origens as seguintes:

       Itália                                       215.886 pessoas
       Portugal                                 187.236 pessoas
       Espanha                                 129.404 pessoas
       Alemanha                                 17.553 pessoas
       Japão                                         1.809 pessoas
       Outros                                      88.689 pessoas

Na virada do século, a população brasileira era de 17,3 milhões de habitantes, vivendo cerca de 11 milhões no campo, Fora os abonados cafeicultores (que moravam nas grandes cidades em ricas mansões e palacetes) a população rural na maioria das vezes, praticava agricultura de subsistência e criação de gado. O rebanho bovino era estimado em 22,8 milhões de cabeça, produzindo 350.000 toneladas de carne por ano. Cerca de 70% do rebanho estava concentrado em Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia.

Energia

Carvão Mineral. O país consumia uma média anual de 1.149 mil toneladas, que era todo importado. O recorde foi em 1910 quando foram importadas 1.582 mil toneladas.

Derivados de Petróleo. Até 1906 o Brasil só importava querosene de iluminação, uma média de 79 mil m³. De 1907 a 1910 a média foi de 140 mil m³. Em 1907 começou a importação de gasolina. Entre 1907 e 1910 foi importada uma média anual de 2.680 m³.

Energia Elétrica. Em 1900 as usinas instaladas no Brasil geravam 10 MW de energia elétrica. Metade era gerada por usinas hidráulicas e metade por usinas térmicas movidas a carvão. Em 1905 subiu para 45 MW o potencial instalado, sendo 38 MW gerados por hidráulicas e sete MW por térmicas. No final da década estavam instalados 157 MW sendo 124 MW por hidráulicas e 33 MW por térmicas.

Indústria

Em 1907 existiam 3.328 estabelecimentos fabris.Um terço das fábricas localizava-se na cidade do Rio de Janeiro, 16% no estado de São Paulo e 15% no estado do Rio Grande do Sul.  As dez atividades com maior quantidade de estabelecimentos eram:

  • Usinas de açúcar               199 unidades

  • Serrarias e carpintarias      197 unidades

  • Cerveja                             186 unidades

  • Cerâmicas                         179 unidades

  • Fundição de metais            169 unidades

  • Tecelagem de algodão       161 unidades

  • Bebidas                             145 unidades

  • Laticínios                           138 unidades

  • Calçados                           119 unidades

  • Curtumes                           108 unidades

Como curiosidade existia 18 fábricas de tamancos, 11 fábricas de espartilhos, nove fábricas de luvas, quatro fábricas de barricas, três fábricas de pentes de chifre, duas fábricas de formicida e uma fábrica de lamparina.

Transportes

Em 1908 o país possuía 16.781 quilômetros de estradas de ferro. 24% em São Paulo, 23% em Minas Gerais, 14% no Rio de Janeiro, 11% no Rio Grande do Sul e 8% na Bahia.

Automóveis

O primeiro automóvel que chegou ao Brasil desembarcou em Salvador da Bahia em 1891 e foi importado por Francisco Pereira Rocha. Era movido a vapor e provocou grande alvoroço na cidade.

O primeiro automóvel movido a motor à explosão chegou a Santos (SP) em 1893, importado pela família de Alberto Santos Dumont, o inventor do avião. Era um Peugeot francês. Henrique, o irmão mais velho de Alberto, era quem dirigia o veículo. Em 1903 existiam seis automóveis em São Paulo e em 1904 já existiam 83 unidades. Não se sabe como  conseguiam combustível para mover os veículos, pois, só a partir de 1907 a gasolina começou a ser oficialmente importada.

Telefones

O telefone foi patenteado nos Estados Unidos em 1876 por Alexander Graham Bell e no mesmo ano, na Exposição em Filadélfia, comemorativa do centenário da independência do país, o imperador D. Pedro II tomou conhecimento dele.  No ano seguinte recebeu de presente do inventor um par de telefones que foram instalados no Palácio de São Cristóvão e no centro da cidade. Em 1883 foi instalada em Santos (SP) a primeira central telefônica do Brasil e no final do mesmo ano já existiam cinco centrais telefônicas no Rio de Janeiro com capacidade para mil ramais. Em 1884 foram instalados em São Paulo os primeiros aparelhos.

Em 1907 existiam 15.208 telefones em todo o Brasil: sendo 5.399 no estado de São Paulo, 3.365 no Rio de Janeiro e 2.815 no Rio Grande do Sul, ou seja, 76% do total.

Moda

http://geografiandrea.blogspot.com/

Fatos históricos

1901

– Arrendamento do Acre (11 de junho). O Acre, até então território boliviano.
– Quebra-quebra na Capital da República contra aumento das passagens dos bondes (14 de junho). Revolta popular derruba o aumento da tarifa dos bondes, Rio de Janeiro

1902

– Posse de Rodrigues Alves (1902-1906).
– Primeira edição da obra de Euclides da Cunha – Os Sertões.

1903

– Greve dos operários da tecelagem Cruzeiro, Rio de Janeiro (15 de agosto). Considerada primeira greve geral de âmbito local, alastra-se por várias categorias na Capital da República. Na pauta de reivindicações: melhores salários e jornada de 8 horas.
– Greve dos condutores de bonde e dos cocheiros, no Rio de Janeiro (15 de setembro).
– Tratado de Petrópolis (17 de novembro). . A Bolívia cede o Acre ao Brasil, território boliviano ocupado por brasileiros; e em troca recebe faixas de fronteira, uma indenização de 2 milhões de libras e a facilitação do seu comércio pelo Rio Amazonas – para tanto, o governo brasileiro se compromete, também, em construir a estrada de ferro Madeira-Mamoré.
– Invenção do avião (13 de dezembro). Os irmãos Wright conseguem, nos Estados Unidos, fazer voar um aeroplano com auxílio de uma catapulta. O feito é celebrado por muitas fontes históricas como pioneiro.
– Ciclo da borracha. Auge do ciclo da borracha, o Brasil responde por 97% da produção mundial do produto.

1904

– Lei da Vacina Obrigatória (31 de outubro). Marco histórico da saúde pública no Brasil, a lei é aprovada graças ao médico sanitarista Osvaldo Cruz sob intenso ataque da imprensa.
– Revolta da Vacina (11de novembro). Revolta popular contra os métodos autoritários dos agentes da saúde pública na campanha de vacinação obrigatória no âmbito da política de saneamento do Rio de Janeiro. A revolta é esmagada e deixa um saldo de 30 mortos.
– Levante do “Quebra-lampiões” (14 de novembro). Motim dos alunos da Escola Militar, Praia Vermelha, Rio de Janeiro.

– Prefeito Pereira Passos iniciou a remodelação urbana do Rio de Janeiro, demolindo casebres para abrir novas avenidas no estilo europeu

1905

– Primeira embaixada brasileira (10 de janeiro). A legação brasileira em Washington eleva-se a categoria de embaixada e, na oportunidade, Rio Branco reforça a proximidade diplomática entre o Brasil e os Estados Unidos.
– Greve dos operários da Ipiranguinha Tecidos, em São Paulo (7 de fevereiro).
– Albert Einstein apresenta sua teoria da relatividade (5 de junho). O jovem físico judeu-alemão, então com 26 anos, desbanca com sua teoria a física newtoniana. O mundo nunca mais será o mesmo. Os princípios da teoria abrem os caminhos para a invenção da bomba atômica, que será repudiada por Einstein ao longo de toda sua vida.
– Criação do quarto Banco do Brasil (30 de dezembro). Origem do atual BB.

1906

– Posse de Afonso Pena (1906-1909).
– Convênio de Taubaté (25 de fevereiro). Firmado pelos governos dos principais Estados produtores, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, no âmbito da política de valorização do café.

– Primeiro Congresso Operário Brasileiro, Rio de Janeiro (15 de abril). Cria a Confederação Operária Brasileira (COB), primeira central sindical do Brasil. Conclave realizado pelos anarquistas.
– Vôo de Santos Dumont no 14 Bis (23 de outubro). Santos Dumont pilotando o 14 Bis realiza, em Paris, o primeiro vôo público.
– Conferência Pan-americana no Rio de Janeiro.

1907

– Lei de Repressão ao Anarquismo (7 de janeiro). Decreto nº. 1.641 autoriza o governo a expulsar estrangeiros envolvidos em agitações do movimento operário. Visados são, principalmente, os anarquistas e militantes sindicais.
– 15 de junho realizou-se em Haia na Holanda a ‘Segunda Conferência Internacional pela Paz’, onde se destacou Rui Barbosa como o Águia de Haia.
– Crise financeira internacional (21 de outubro). Desencadeada pela crise na bolsa nova-iorquina Wall Street e pela superprodução industrial alemã. Esta crise tem reflexo na economia brasileira, pois o governo brasileiro não pode mais usar o crédito internacional para financiar seu excedente de produção de café.
– Lei de Repressão ao Anarquismo. Autoriza o governo a deportar estrangeiros ligados ao movimento operário.
– Criação da Companhia Shell.

1908

– Início da imigração japonesa (18 de junho). A convite do governo brasileiro, o Japão envia grupos de imigrantes dispostos a trabalhar nos cafezais do interior paulista. São 781 imigrantes que chegam ao Porto de Santos a bordo do cargueiro Kasato Maru procedente de Kobe. Até 1935, mais de 140.000 japoneses virão trabalhar no Brasil.
– Comício dos anarquistas no Largo de São Francisco, São Paulo (5 de dezembro). Reúne 5 mil pessoas.

1909

– Tratado de Arbitramento entre Brasil e Estados Unidos (23 de janeiro). O Brasil dá início à realização de uma série de tratados e convenções bilaterais de arbitramento com diferentes países. Serão 18 tratados e convenções, neste ano, e mais 10 nos dois anos seguintes.
– Primeiros homens atingem o Pólo Norte (6 de março). Heróis são R. Peary e M. Henson.
– Morte de Afonso Pena (14 de junho) e posse de seu vice, Nilo Peçanha (1909-1910).
Tratado de resolução de litígio de fronteira com o Uruguai sob direção de Rio Branco (30 de outubro).
– Marechal Cândido Rondon conclui a ligação telegráfica do A mazonas (27 de dezembro).
– Recorde de exportação de café pelo porto de Santos.

1910

– Posse de Hermes da Fonseca (1910-1914). Intensa luta política entre a campanha civilista de Rui Barbosa à Presidência da República em oposição à candidatura militar do Marechal Hermes da Fonseca. Essa é tida como a primeira eleição competitiva no Brasil. Este último venceu as eleições, porém o processo eleitoral realizou-se de forma viciada e suspeita.
– Inauguração do novo cais do porto do Rio de Janeiro (20 de julho).
– Criação do Serviço de Proteção aos Índios e Localização de Trabalhadores (20 de julho). Criado pelo Dec. 8.072 de 20/7/1910 é inaugurado, em 7 de setembro desse mesmo ano. O então capitão Cândido Rondon é seu primeiro diretor.
– Revolta da Chibata no Rio de Janeiro (22 de novembro). Dois mil marinheiros da Marinha do Brasil, liderados por João Cândido, se rebelam contra a aplicação dos castigos físicos a eles impostos como punição e ameaçam bombardear a cidade do Rio de Janeiro.
– População do Rio de Janeiro em 1910. A Capital Federal tem, ao fim da primeira década do século XX, 850 mil habitantes.
– População de São Paulo em 1910. A Capital paulista, em 1910, com 375 mil habitantes tem uma população bem menor do que o Rio de Janeiro.

Cultura e Entretenimento

O Brasil vivia em plena ‘Belle Epoque’. A Belle Époque no Brasil abrangeu o período entre 1889, (data da proclamação da República), e 1922, ano da realização da Semana da Arte Moderna em São Paulo. Foi uma época de florescimento total do belo, de transformações. Surgem novas descobertas e tecnologias, e o cenário cultural fervilha. A face artística é marcada pelo nascimento do Impressionismo e da Art Nouveau.

– Em 1900 Machado de Assis lançou o livro ‘Dom Casmurro’ e Joaquim Nabuco sua autobiografia ‘Minha Formação’. E começou a circular a ‘Revista da Semana’

– Chiquinha Gonzaga compõe a marchinha carnavalesca ‘Ô Abre Alas’

– Em 1901 Afonso Celso publicou o seu livro ‘Por que me Ufano de Meu País’ e Silvio Romero os ‘Ensaios de Sociologia e Literatura’.

– O proprietário da Casa Edison do Rio de Janeiro introduziu o disco fonográfico no Brasil, gravando modinhas e lundus. com a voz do desconhecido Eduardo das Neves. Para ouvir o disco os interessados tinham que comprar um gramofone que custava 700 mil réis, o equivalente a dois meses de salário de um comerciário

– Em 1902 começou a circular a revista ‘O Malho’ e Euclides da Cunha publicou ‘Os Sertões’.

– Em 1903 Sarah Bernhardt em sua terceira visita ao Brasil se apresentou no Teatro Polytheama em São Paulo com grande sucesso.

– Em 1905 apareceu o ‘Tico Tico’ a primeira revista em quadrinhos do Brasil e Olavo Bilac publica o seu ‘Tratado de Versificação’.

– Em 1906 a atriz de teatro de revista Maria Lino lançou para o carnaval o maxixe ‘Vem Cá, Mulata’ composto por Arquimedes de Oliveira e Bastos Tigre, que causou rebuliço, pois o maxixe era considerado uma dança obscena.

Vem cá, mulata…. (tango-chula) ..gravação de 1906.

– Também foi lançada em 1907 a revista ‘Fon-Fon’.

– Em 1908 foi lançado o filme de Antonio Leal ‘Os Estranguladores’. Antonio Leal ao lado de Alberto e Paulinho Botelho foi um dos pioneiros do cinema nacional.

– Em 1909 foi inaugurado o Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

– Carlos Chagas  descobriu que a doença, que ficou conhecida como ‘Mal de Chagas’, era causada por um micróbio transmitido pelo barbeiro, um inseto sugador.rádio.

– William Auler produziu o filme ‘Paz e Amor’, dirigido por Alberto Botelho.

Top com as 10 Músicas mais tocadas no Brasil na década de 1900(1910 a 1909) em eventos, concertos e vendas. – Lista em texto das posições:

10-Ô Abre Alas – Banda da Casa Edison

09-American Patrol – Sousa’s Band

08-Os Namorados da Lua – Mário Pinheiro(Chiquinha Gonzaga)

07-Choro e Poesia – Banda da Casa Edison

06-Minas Gerais – Eduardo das Neves

05-Ma Blushin’ Rosie – Albert Campbell

04-A Conquista do Ar (Santos Dumont) – Banda da Casa Edison

03-Ma Tiger Lily – Arthur Collins

02-Stars & Stripes Forever- Sousa’s Band

01-Amor Perdido – Patápio Silva

Filmes que fizeram sucesso em (1900) a (1910)

Deixe um comentário

Por favor digite o seu comentário
Por favor digite seu nome