Sergio Garloppa – Produtor Artístico Cultural – Carioca, torcedor do Bangu, atualmente  Morador de Volta Redonda -RJ. Trabalhou e produziu show de diversos artistas da MPB entre eles  Baby do Brasil, Novos Baianos, Moraes Moreira, Elimar Santos, Paulinho Moska, Ivan Lins, Maria Gadu, Zeca Baleiro, Gonzaguinha, Vando, Charlie Brow Junior, Cazuza, e Luiz Melodia. Participou como produtor em 03 Rock in Rio e diversos shows internacionais.

 

05

PAPO DE SOM

REFESTANÇA RITA LEE E GILBERTO GIL

Este álbum registra o reencontro da rainha do rock Rita Lee com Gilberto Gil desde 1967 no Festival da Record. A turnê virou disco (ao vivo). Refestança se transformou num “mega” espetáculo, e viajou por todo o país. Houve mais um reencontro com Lúcia Turnbull (ex ”Cilibrinas do Éden”) que estava na banda de Gil Refavela.
Não só de coisas boas ocorreram, entre encontros festivos, contratempo aconteceram durante o show, o cenário desabou no Maracanazinho na cidade do Rio de Janeiro, por falha da produção na época e Rita desabafou numa entrevista a revista Fatos e Fotos/Gente “Eu e Gil só cantamos nas outras cidades porque fizemos tudo na boa-vontade, levando muita fé. No final, quando o Refestança devia pintar com mais força as aletas da aranha metálica quase matam a gente.” O show continuou com grande sucesso de público. Vale a pena destacar as faixas “Domingo No Parque”, “Giló”,”Eu Só Quero Um Xodó” “De leve” e “Back In Bahia”.

INESQUECÍVEIS APRESENTAÇÕES: REFESTANÇA (1977)

Refestança que Ela Rita Lee  e o compadre Gilberto Gil fizeram, em 1977.

Tanto Rita Lee, como Gilberto Gil, tinham sido presos por porte de drogas em 1976. No ano seguinte, decidem fazer juntos, uma série de espetáculos em teatros e casas de show de nome “Refestança”, para relançarem as suas carreiras. O show contava com uma apresentação dos dois cantando “É Proibido Fumar”, sucesso de Roberto e Erasmo Carlos, que ganhava outras conotações devido ao conturbado ano anterior.
Entre os vários shows da turnê que percorreu o Brasil naquele tempo. Posso dizer que o show do dia 05 de novembro foi um tanto quanto engraçado por um lado, e assustador por outro.
O show aconteceu no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, e o palco tinha uma estrutura de discos que pesavam  toneladas. Uma beleza só!

Tudo estava tranquilo, até quando uma viga de sustentação (de ferro) caí em cima do palco, no meio do show. Depois outra viga e depois os discos e por aí foi-se.. A confusão já podia ser anunciada. Rita e Gil saíram do palco, que estava sendo destruído pelo resto do palco. O show foi parado e todos saíram do ginásio, em pânico é claro.
Bastou a confusão ser anunciada, no dia seguinte a manchete foi:
Rita e Gil quase não se pronunciaram sobre o fato ocorrido. O mais importante foi que o disco acabou sendo gravado, sendo o único registro ao vivo de Rita e Tutti Frutti. De tanto sucesso que fez, o novo disco chegou a alcançar dois discos de ouro naquele ano.

Antes disso, foi lançado o compacto “Corista de rock/Arrombou a festa” que vendeu mais de 250 mil cópias e sendo um dos compactos que mais vendeu na época.

A música “Arrombou a festa” nunca foi lançada em um disco específico (de estúdio), só no compacto e ao vivo no Refestança.

Músicos:
Rita Lee e a banda Tutti Frutti tocam as faixas 5, 6 e 10 e, acompanhadas de Gil e sua banda Refavela, as faixas 1, 2, 9 e 11.
Gil e a banda Refavela tocam as faixas 3, 4, 7 e 8.

Tutti Frutti
§  Roberto Carvalho: Guitarra e Teclados;
§  Luís Sérgio Carlini: Guitarra;
§  Lee Marcucci: Baixo;
§  Sérgio Della Monica: Bateria;
§  Wilson Pinto de Oliveira: Vocal;
§  Naila Mello: Percussão.

Refavela
§  Moacir Albuquerque: Baixo;
§  Pedrinho Santana: Guitarra;
§  Djalma Correia: Percussão;
§  Milciades Teixeira: Teclados;
§  Carlos Alberto Charlegre: Bateria;
§  Lúcia Turnbull: Vocal.

Gravado em: Outubro de 1977
Lançado em: Novembro de 1977.

Deixe um comentário

Por favor digite o seu comentário
Por favor digite seu nome